Ponto de Vista

A morte do cachorro e do trabalhador

Qui, 19 de Abril de 2012 15:15

A morte de uma cadela da raça pitbull por um vigilante do Hospital Veterinário da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs), dia 06/04, ganhou eco na imprensa e nas redes sociais, retratando a comoção pela agressividade do ato.

A repercussão social expôs a revolta natural das pessoas contra as desumanidades, atos covardes e arbitrários, pois é próprio do ser humano repudiar as injustiças e condena-las com veemência.

Mas o que dizer das mortes nos canteiros de obra, quase sempre pela falta da observância das normas coletivas de segurança, definidas como obrigatórias, mas negligenciadas por construtores e empreiteiros.
Apenas no primeiro trimestre de 2012, cinco trabalhadores perderam a vida em acidentes de trabalho, dos quais dois eram da construção civil. Ano passado, onze operários morreram em tragédias que abalaram a vida de parentes e amigos. O Sistema Federal de Inspeção do Trabalho registrou a ocorrência de 226 acidentes de trabalho nos meses de janeiro e fevereiro de 2012 no país, dos quais 64 acidentes na construção civil, o que representa 28,5% do total. Em segundo lugar aparece o segmento da indústria metalúrgica, com 30 registros no mesmo período.

Infelizmente, tais mortes não são focalizadas a partir da dimensão humana dessas tragédias, pois a vítima deixa a família desamparada e o desânimo entre os colegas, que podem ser os próximos a morrer.

Se nos revoltam tiros que matam um cachorro, porque não bradar contra o risco de vida diário em obras que alicerçam o crescimento das cidades, porém cuja execução é feita com a imprevidência que custa a vida humana.

A ira da comunidade e dos familiares dos mortos em acidentes de trabalho deveria merecer mais atenção da mídia, das autoridades e do cidadão que desabafa nas redes sociais. Quando isso acontecer e melhorarem as condições gerais de trabalho, o respeito aos direitos básicos dos trabalhadores e a civilidade, certamente os fatos serão retratados com a dimensão real e não midiática.

Presidente Valter Souza

TV STICC

Marreta Online

Marreta On-line

Denúncia

Denuncie informações aqui

Colônia de Férias

Colônia de Férias informações aqui